Log In | Contacte-nos | Seleccionar Documentos (0 itens)
Navegar por: Colecções Conteúdos Digitais Assuntos Produtores Classificação

Associação Cultural "A Vida" | Arquivo Histórico-Social / Projecto MOSCA

Nome: Associação Cultural "A Vida"


Nota Histórica:

A Associação Cultural A Vida foi fundada em 1995 e, de acordo com os seus estatutos, tem por objectivos a edição de publicações periódicas e não periódicas libertárias; a promoção de colóquios, seminários, conferências e outras actividades congéneres libertárias; intervenções pontuais de natureza libertária a definir pela Assembleia Geral da Associação Cultural A Vida (artº 1º).

Os seus princípios e as práticas referidas são baseados na democracia directa, na não vinculação partidária e estatal, da autonomização do indivíduo, da assunção da liberdade e da solidariedade (art.º2). Consideram-se absolutamente inaceitáveis actividades com quaisquer fins lucrativos, partidárias, estatais e cerceadoras da liberdade do outro, ou que contribuam de alguma forma para a exploração e/ou opressão do homem pelo homem (art.º 3º).

Missão e finalidade: a grande e missão e finalidade da Associação Cultural A Vida foi e é a difusão das ideias e práticas da Anarquia no planeta Terra.

Revista Utopia. Em 1995, foi criada a revista Utopia de Cultura e Intervenção Anarquista. "A Utopia define-se como uma revista anarquista de cultura e intervenção, o que significa a reivindicação do património histórico das ideias libertárias e do movimento anarquista, ainda que à luz de um pensamento próprio, activo e actual, e no respeito face a outras interpretações desse património. Estes princípios decorreram da conjugação e integração de vários militantes anarquistas que antes tinham colaborado nas redacções do jornal A Batalha, das revista Antítese, Crise Luxuosa e A Ideia". Foram seus fundadores Rui Vaz de Carvalho, António Carlos Nuno, José Luis Félix, José Tavares e José Maria Carvalho Ferreira.

Organização interna: Os estatutos da Associação Cultural A Vida determinavam que a soberania do funcionamento da Associação estivessem sempre subordinados à vontade soberana dos seus associados. Esta soberania era e é de natureza espontânea e informal e formalizada com base na existência de uma direcção, de uma assembleia geral e de um conselho fiscal. A entrada e saída de associados faz-se por uma identidade baseada nos princípios da amizade, ideias e práticas libertárias, assim como por divergências pessoais e grupais.

Actividades: Para além da edição da revista Utopia que culminou com a publicação do último número 29/30 em 2012, foram realizados vários debates acerca de assuntos temáticos da revista Utopia, convívios libertários com destaque para a realização do Acampamento Libertário de 1997 em Izeda. Por outro lado, sublinhe-se também as homenagens que foram prestadas às vidas e obras de Edgar Rodrigues em 2002 e José María Nunes em 2006.

Outros dados: Muito embora a edição da revista Utopia em papel deixasse de ser uma realidade da vida quotidiana da Associação Cultural A Vida, a continuidade da sua visibilidade social será realizada em formato digital. Em sintonia com esse desiderato, o arquivo da Associação Cultural A Vida deverá seguir a mesma base de digitalização. Os convívios libertários serão uma base de estimulação imprescindível da amizade e da anarquia no seio da vida quotidiana da Associação Cultural A Vida.

Fontes: José Maria Carvalho Ferreira, 2012
Nota do Autor: José Maria Carvalho Ferreira, 2012






Page Generated in: 0.211 seconds (using 215 queries).
Using 11065320B of memory. (Peak of 11234632B.)

Powered by Archon Version 3.12
Copyright ©2010 The University of Illinois at Urbana-Champaign