Log In | Contacte-nos | Seleccionar Documentos (0 itens)
Navegar por: Colecções Conteúdos Digitais Assuntos Produtores Classificação

Correia, Miguel Maria de Almeida (1889-1940) | Arquivo Histórico-Social / Projecto MOSCA

Nome: Correia, Miguel Maria de Almeida (1889-1940)
Nome Completo: Miguel Maria de Almeida Correia


História da Família: Miguel Maria de Almeida Correia nasceu em Beja, no dia 30 de Abril de 1889 e faleceu em Lourenço Marques, no dia 3 de Julho de 1940. O seu desaparecimento do número dos vivos chocou os seus amigos, por se ,,lar de um homem de carácter excepcional, bom, magnânimo, possuidor de uma inteligência privilegiada e de um poder de raciocínio invulgares. Miguel Correia, que morreu pobríssimo, amparado nos últimos anos da sua existência pela solidariedade de um grupo de amigos, era um idealista sincero, uma alma inigualável, que se impunha, até à consideração e estima dos seus adversários. Não conhecia o ódio. Nunca odiou ninguém, nem mesmo nos lances mais difíceis da luta, em que a alma humana se inferioriza por actos cruentos e menos dignos. O seu arcaboiço forte de lutador coadunou-se sempre com a delicadeza e a correcção para com todos os seus opositores, mesmo nos momentos de maior tensão nervosa. Apreciável orador, conferencista, quando levava para público problemas de carácter social, tratava-os sempre, além do aprumo que lhe era peculiar, com os conhecimentos e a amplitude necessários a uma boa com-preensão dos temas versados. A sua acção como militante dos ferroviários do Sul e Sueste e Minho e Douro, foi, a todos os títulos, notável. Esforçado paladino da classe, por ela se sacrificou e aos seus, pugnando sempre para que ela atin¬gisse um elevado nível material no campo das reivindicações justas e um não menor enquadramento das condições sociais e morais no conjunto do movi¬mento obreiro. O Congresso Ferroviário que se realizou há anos na Sociedade de Geografia de Lisboa, com a assistência de delegados ferroviários franceses, foi obra sua, pois foi o seu principal animador. Essa reunião marcou uma etapa brilhante na história do movimento operário português. Conversador fluente, persuasivo, encantava quem dele se aproximasse, pondo, aqui e ali, no decorrer da conversação, notas de espírito superior. Miguel Correia desembarcou em Lourenço Marques no dia 6 de Junho de 1935, pelo vapor "Mousinho". Esteve, durante algum tempo, como empregado de escritório forense. Depois, desde Julho de 1936, exerceu as funções de chefe da redacção do diário O Jornal, daquela cidade, até 1937, onde, como sempre, deixou vinculada a sua passagem em artigos explêndidos de análise, escritos com brilho de um verdadeiro jornalista, debaixo das iniciais "M.C.". Nos primórdios de 1937 declara-se a doença terrível que o havia de vitimar.
Fontes: E. Rodrigues (1982). A oposição Libertária em Portugal. 1939-1974. Lisboa. Sementeira.
Nota do Autor: E. Rodrigues (1982)




Page Generated in: 0.095 seconds (using 104 queries).
Using 8737096B of memory. (Peak of 8866776B.)

Powered by Archon Version 3.12
Copyright ©2010 The University of Illinois at Urbana-Champaign